Pontuar ou não pontuar, eis a questão

Constantemente eu me vejo a volta em discussões sobre a necessidade de pontuar uma história. Até que ponto faz sentido? Quais os ganhos? Isso é igual ao tempo necessário para desenvolver a história?

pontuar ou não pontuar

Para começar, a pontuação não corresponde ao tempo necessário para desenvolver uma história.

Os novatos tendem a acreditar que estes dois conceitos são iguais, mas a verdade é que a pontuação está relacionada a complexidade para trabalhar aquela história. O tempo necessário para desenvolver é definido pelas tarefas relacionadas as histórias e com isto, pode ocorrer de histórias com a mesma complexidade possuírem tempo de desenvolvimento diferente.

No entanto, com o tempo temos uma tendência a criar uma previsibilidade com relação ao tempo necessário para desenvolver histórias. A partir de uma base histórica, conseguiremos prever e estimar o tempo de desenvolvimento sem a necessidade de quebrar as histórias em tarefas.

Um outro benefício que muitas vezes não é percebido é o auxilio na priorização a partir do cálculo do ROI (Return of Investiment). Sabendo a complexidade de uma história, conseguiremos com a ajuda do PO (Product Owner) definir o quanto aquela história trará de retorno para o negócio.

Imaginemos um projeto com 5 histórias:

  1. Cadastro de Clientes
  2. Cadastro de Filmes
  3. Controle de Locação
  4. Cobrança de Locação
  5. Relatório de Locação

Após entendimento das histórias pelo time de desenvolvimento, temos as seguintes pontuações definidas pelo time de desenvolvimento:

História Pontos de Complexidade
Cadastro de Clientes 3
Cadastro de Filmes 3
Controle de Locação 5
Cobrança de Locação 5
Relatório de Locação 8

Tendo nosso projeto pontuado, pediremos para o nosso PO distribuir 100 unidade de valor entre estas histórias, onde a que for mais importante, receberá mais unidades de valor e a que tiver menos importância receberá menos unidades de valor.

História Pontos de Complexidade Valor para o PO
Cadastro de Clientes 3 15
Cadastro de Filmes 3 20
Controle de Locação 5 40
Cobrança de Locação 5 20
Relatório de Locação 8 5

Com base nos pontos de complexidade e nos valores distribuídos pelo PO, podemos realizar o cálculo do ROI e apoiar o PO na priorização do backlog com um simples cálculo:

ROI = Valor para o PO / Pontos de Complexidade

 

História Pontos de Complexidade Valor para o PO ROI
Controle de Locação 5 40 8,00
Cadastro de Clientes 3 20 6,67
Cadastro de Filmes 3 15 5,00
Cobrança de Locação 5 20 4,00
Relatório de Locação 8 5 0,62

Com a simples definição da pontuação das histórias, construímos com o passar do tempo uma base histórica que nos ajudará na previsibilidade de projetos futuros e  conseguimos priorizar o backlog de acordo com o retorno que cada história trará para o negócio.